sábado, 27 de dezembro de 2014

No Limite do Amanhã (Edge of Tomorrow, 2014).

Legal que este filme não é uma sequência, não é um filme de super-heróis e nem um remake, então ele já ganhou pontos, e por ser uma história baseada na light novel "All You Need Is Kill" de Hiroshi Sakurazaka, que eu não li (!), mas ouvi falar muito bem por aí!




O filme tem um tema bastante usado no cinema, Tom Cruise preso no tempo em um loop temporal, isso significa que veremos algumas cenas repetidas algumas "várias" vezes, porém com as reações diferentes do protagonista, isso facilita o desenvolvimento da trama e vai esclarecendo um pouco mais a cada "Viva-Morra-Repita".





Efeitos visuais e sonoros de parabéns, não deixa nada a desejar (o 3D é dispensável!). Fotografia impecável, um filme claro, a maioria de suas cenas à luz do dia, mostra que o diretor estava disposto a fazer o melhor, na minha humilde opinião, deu certo. 
A trilha sonora é boa, ajuda a manter o clima tenso das cenas mais elaboradas e o figurino é outra coisa bem bacana, um mix de "Elysium" e "Avatar" com seus exosqueletos super bem equipados com armas pesadas. 



Alguns clichês, nos lembram filmes como "Guerra dos Mundos", "Tropas Estelares", "O Resgate do Soldado Ryan", e o tão comparado "Feitiço do Tempo". Mas mesmo assim, não abala e nem de longe tira o brilho desse tão bem produzido si-fi, que traz o equilíbrio entre cenas de ação e bom humor, importante dizer também, que é um filme inteligente.