sábado, 13 de fevereiro de 2016

Deadpool, 2016.

Sem lenga-lenga. Se você é fã do Mercenário Tagarela, se você viu X-Men Origens: Wolverine(2009) e Lanterna Verde(2011), e ainda ouviu falar das críticas negativas que perseguiram Ryan Reynolds por causa destes personagens, então prepare-se para se divertir do começo ao fim com este filme. Deadpool é um dos melhores filmes de super-heróis até agora.


Eu ouvi tanta bobagem sobre este filme, de quem não faz a menor ideia do que está vendo, que eu decidi não fala muito para não perder tempo com haters. Mas sem dúvidas, esse filme, por ser produzido com baixo orçamento para os padrões de um filme de super-heróis (58 milhões de dólares), ele é tecnicamente muito bom, o roteiro é muito inteligente, ótimos diálogos com muitas tiradas que fazem o público gargalhar. O CGi funciona muito bem, não tem muitos grandes eventos, porém o que há é bacana de se ver, e ficou bem ajustado as cenas de ação. Enquadramentos interessantes e slow motion na dose certa e quando necessário.


A trilha sonora é perfeita e combina muito bem com o humor do filme e de seu protagonista, marcou bem e com certeza nunca mais você vai ouvir essa trilha sem se lembrar do Deadpool




A quebra da quarta parede (diálogos direto com o público) está lá, assim como nos quadrinhos, é o ponto forte no longa, Ryan Reynolds nos faz sentir íntimos do Mercenário, alias ele conseguiu dar a volta por cima, o ator sempre expressou a vontade de corrigir o erro dos estúdios da Fox e se redimir com os fãs de Deadpool que odiaram seu papel 
(ele também é super fã do personagem dos quadrinhos), totalmente descaracterizado em 2009, com a boca costurada, olhos manchados e sem a sua lycra vermelha. Agora ele é o que todos esperavam, e mesmo com algumas alterações na adaptação dos quadrinhos para o cinema (isso é normal e irrelevante) a Fox acertou com a Marvel e seu longa recebeu muitos aplausos dentro do cinema em cenas memoráveis do longa. As referencias e satirizações à outros filmes, atores, super-heróis e até mesmo ao próprio Deadpool na aparição anterior no cinema, é de tirar o chapéu, até quem não tem nada a ver com o universo ganha piada, nomes do cinema, da música, do esporte e por aí vai... Ryan no papel da sua vida. É muito engraçado, mesmo!


Morena Baccarin (brasileira), Ed Skrein, Gina Carano, T. J. Miller, Brianna Hildebrand e Leslie Uggams também estão no elenco. E eu só não curtir mesmo, foi a atuação péssima (diga-se de passagem) da Gina Carano. Que me desculpem os fã da lutadora, mas ela é definitivamente fraca para este longa, qualquer atriz poderia ter feito muito melhor o personagem dela, sem carisma, sem expressão e sem graça nenhuma. O vilão é interpretado pelo Ed Skrein, e eu gostei muito de ver ele na telona (os fãs de GoT entenderão).



A direção é do Tim Miller, eu não conhecia esse diretor, ele é bom. E na produção tem Simon Kinberg (mais conhecido por produzir X-Men, Sherlock Holmes...), e também Ryan Reynolds, eu acho que isso deu muito certo, o resultado final e altamente satisfatório.




O longa tem cenas de sexo, violência, muito sangue e palavrões (claro, é Deadpool!), a classificação é 16 anos, mas deveria ser 18, sabe como é... Não levem este filme a sério, para quem não conhece o personagem mas quer ir lá conferir, nada de comparações, este é um personagem da Marvel que apareceu pela primeira vez em 1991, ele é uma sátira do Exterminador (personagem da DC), porém agradou tanto com sua personalidade debochada e pouco estável, que ganhou seu espaço.





Recomendo para fãs de filmes de super-heróis, ação e comédia. O longa cumpre o que promete, entrega entretenimento adulto, escrachado e de boa qualidade. Deadpool entrou para minha lista dos 5 melhores filmes de super-heróis de todos os tempos. 




Divirtam-se, assistam legendado e esperem acabar todos os créditos, pois vale muito a pena.