sexta-feira, 20 de março de 2015

Tim Maia (O filme), 2014.

A vida do dono de uma das maiores vozes do Brasil, vira filme, e um filme que me agradou e me surpreendeu positivamente, mas com algumas falhas significativas.

O filme possui uma voz em off que conta a história, porém exagera em alguns pontos, algumas cenas dispensaria a narrativa tão bem explicadinha. Outro exemplo é a atuação de George Sauma, ator que interpreta Roberto Carlos, é péssimo, forçado, tão ruim que a gente até ri. Um erro: No filme é dito que ele é o décimo primeiro filho de seus pais, porém a verdade é que ele é o décimo oitavo de 19 irmãos.



Mas o filme tem muitos acertos, a atuação dos atores que interpretam Tim (Babu Santana e Robson Nunes), é com certeza muito boa e convincente, Tim está muito bem representando, com todas as boas tiradas, palavrões e momentos de tensão, é como se estivéssemos vendo o verdadeiro em carne e osso. Alinne Moraes e Cauã Reymond dispensam comentários.

A fotografia é ótima, cenários de um Rio de Janeiro antigo, mas precisamente o bairro da Tijuca, é uma viagem no tempo, pra quem viveu esta época, hoje, reviveu tudo no cinema. O filme tem muitas cenas hilárias, é muito divertido, mas tem muito drama também, a infância difícil, a vida no exterior, prisões, sexo, drogas, e a fase esotérica de Tim, com seus encantos e desencantos, e Racionais (seu mais polêmico álbum), também estão lá.  
A trilha sonora é um show a parte (com e sem trocadilho!), a gente sai do cinema com uma vontade enorme de ouvir mais do Síndico do Brasil.

Baseado no livro “Vale Tudo: O Som E A Fúria De Tim Maia” de Nelson Motta (que eu ganhei da minha querida amiga Cecy. O livro é ótimo tem muito mais detalhes interessantes sobre o Tim e sobre muitos outros acontecimentos da época, meso assim é uma adaptação para o cinema que ficou excelente.

Uma polêmica trazida para o filme é um episódio onde Roberto Carlos e Tim se reencontram depois do sucesso do "Rei" e que Tim Maia vai pedir ajuda ao antigo amigo. Mas pelo que já li por aí o próprio Robert Carlos leu e aprovou o roteiro.

Adorei, eu sou fã das músicas do Tim, o filme ficou muito legal. Um fato que marcou minha vida foi a notícia da morte dele, e isso está bem retratado no filme, exatamente como eu lembrava.



O filme acaba e deixa aquela vontade de ouvir as músicas e sair cantando por aí...