segunda-feira, 16 de março de 2015

O Doador de Memórias (The Giver, 2014)

O filme é um desperdício de idéias, fiquei com muita vontade de ler o livro, pois quando o filme acaba, dá uma sensação de que foi resumido demais. Eu gostaria de saber mais sobre o aspecto político, as escolhas, e mais alguma coisa... É uma ficção científica interessante.



Em um mundo perfeito, onde não há conflitos, desordem e todos parecem sentir-se bem, existe uma política rígida e muito conservadora, onde os jovens são preparados pra substituir os anciões, pessoas que mantem as coisas como são. Entre eles um jovem é escolhido para ser Receptor de Memórias da comunidade, ele recebe o treinamento com o "doador de memórias", logo o jovem receptor, descobre que seu mundo perfeito na verdade, sempre foi manipulado, não é real, e resolve mudar isso. 

Acredito que seja um filme para leitores do livro, pra quem não leu o livro, como eu, fica meio sem graça. Lembrei-me de O Código DaVinci, que eu li, e vi o filme e tive a sensação que quem não leu o livro, ficou a ver navios em muitas coisas. 

O roteiro é fraco, super resumido, corrido, e erros que não dá pra engolir. Sorry... 
O elenco é bom e as atuações são boas, dentro do contexto, os personagens não tem emoção, e isso é bem representado. A fotografia é legal, o filme começa em preto e branco e no desenrolar da trama, as cenas ganham "vida" com as cores surgindo aos poucos. As imagens que são a representação da memória, são muitas vezes muito bonitas e contrastam muito bem com a falta de cor no mundo "real", quanto mais emoção, mais colorido. O visual do filme é limpo e os cenários são futuristas e ao mesmo tempo simples.

É um filme paradão, e eu fiquei na esperança de alguma coisa acontecer, além do esperado.
Apesar de ter uma temática parecida com Jogos Vorazes, sobre questões políticas, aqui é algo mais complexo, misterioso que seria bom se a trama fosse mais além.

Quero ler o livro. A mensagem é interessante. Mas o filme... Deixou a desejar!