segunda-feira, 26 de junho de 2017

A Chegada (Arrival, 2016).

Filme baseado no conto "História de Sua Vida" (Story Of Your Life, 1998) de Ted Chiang
Para um blockbuster, este longa impressiona pela singularidade como conta sua história, e entre outros clássicos da ficção científica, também ficará na memória, Denis Villeneuve entrega um filme visualmente bonito e tecnicamente bem feito. 


Na sinopse, quando seres interplanetários deixam marcas na Terra, a Dra. Louise Banks (Amy Adams), uma linguista especialista no assunto, é procurada por militares para traduzir os sinais e desvendar se os alienígenas representam uma ameaça ou não. No entanto, a resposta para todas as perguntas e mistérios pode ameaçar a vida de Louise e a existência de toda a humanidade. Deslumbre visual com enquadramentos de diferentes ângulos e uma história pessoal aparentemente em paralelo com a atual presença dos aliens na Terra. O roteiro é bem fechado apesar de duas narrativas que seguem em linhas "circulares" (entendedores, entenderão!), assim é este sci-fi complexo e marcante.


Amy Adams dá um show de interpretação, sua personagem sensível e triste trás toda melancolia que podemos sentir por aqui, a complexidade da personagem é algo que poucas atrizes conseguiriam passar, ela está excelente. A trilha sonora ajuda a compor um clima misterioso que ampara nossas emoções, mas não impressiona. Diferente de muitos filmes sobre aliens, este é um filme que quando termina a tristeza e a beleza ficam martelando na cabeça. Denis Villeneuve cumpre seu papel e entrega um filme belíssimo, que foge do óbvio com sua narrativa não linear. Apesar disso, clichês básicos para se construir este universo são necessários, afinal de contas é um filme com invasão alienígena, porém não é sobre isso, portanto, não esperem explosões, nem destruição à lá Godzilla, e é aí que a trama se torna peculiar, ela é muito mais sobre humanos do que sobre alienígenas


Entender como funciona e fecha todas as pontas deste filme é algo ainda mais interessante que vamos descobrindo a cada momento junto com a trajetória de Louise. Em um determinado momento tudo passa a fazer sentido e o quebra-cabeça se completa com a última pergunta e você já sabe a resposta. Emocionante, Arrival (no original), sem dúvidas, deixou sua marca ao lado de Contato (Contact, 1997) e Contatos Imediatos de Terceiro Grau (Close Encounters of the Third Kind, 1977).