segunda-feira, 29 de maio de 2017

Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar (Pirates of the Caribbean: Dead Men Tell No Tales, 2017)

Chegamos ao quinto filme da franquia com nenhuma novidade, muito pelo contrário, a tentativa de resgate do clima do primeiro filme é tão desesperada que torna-se enfadonho. Jack Sparrow não é mais tão engraçado, é forçado, e a medida que são produzidos mais filmes, vai ficando ainda mais difícil de encarar.


A nova produção de piratas da Disney vai muito bem em números, o filme tem um visual muito mais realista e os efeitos em CGi são naturais e muito convincentes, a cinematografia é linda com cores acinzentadas, porém mais escuras do que o desejado, mas que contrastam muito bem com o céu e o mar da iluminação das cenas diurnas, é realmente encantador. Os novos vilões tem aspectos fantasmagóricos e os efeitos são sensacionais. A trilha sonora também é impecável e com a volta do tema dos piratas, até chega a empolgar.


A direção não erra nas cenas de ação muito bem montadas e edições caprichadas dando ao espectador pausas entre uma cena e outra, que neste longa se tornam mais curtas e eficientes ao longo de toda trama. Figurinos, maquiagem e cabelo ainda são o forte dessa produção, assim como a direção de arte. Mas o que detona tudo é o roteiro, nada de novo acontece, temos um trio composto por um novo casal e Johnny "Jack" Deep, que apenas refaz o que o primeiro trio fez lá no primeiro longa, sendo que neste quinto filme, o casal pouco tem química e carisma, então o espectador já sabendo o que esperar, também não torce pelo casal, não há empatia. 


As atuações nada deixam a desejar para o que se propõe o roteiro, Jack Sparrow parece está no piloto automático. O novo vilão é uma figura ameaçadora mas parece que os efeitos visuais sobrepostos a ele amenizam essa ameaça, a gente fica hipnotizado com os movimentos, é uma distração para o público à atuação do excelente Javier Bardem. Os piratas voltam numa tentativa frustrada de renovar a franquia, mas parece que já espremeu-se tudo que podia dar, é apenas mais um episódio usando a mesma fórmula e elementos dos filmes que já vimos, mesmo assim ainda é melhor do que o anterior de 2011. Sabemos que a Disney não vai desistir tão fácil, pelo menos enquanto estiver pelo mundo à fora batendo recordes de bilheterias, e ainda veremos produções futuras, mesmo sem esperanças de vermos algo novo neste universo. Pirates of the Caribbean: Dead Men Tell No Tales ainda tem uma cena pós-crédito que dá o gancho para a próxima aventura.  


Na sinopse, o capitão Salazar (Javier Bardem) é a nova pedra no sapato do capitão Jack Sparrow (Johnny Depp). Ele lidera um exército de piratas fantasmas assassinos e está disposto a matar todos os piratas existentes na face da Terra. Para escapar, Sparrow precisa encontrar o Tridente de Poseidon, que dá ao seu dono o poder de controlar o mar.