segunda-feira, 6 de março de 2017

Logan, 2017

Finalmente, Wolverine...


Aquele filme que todo fã do Carcaju quer ver. Talvez para quem só conheça o Wolverine dos cinemas não sentirá tanto a emoção que este filme trás à tona. Talvez para quem já conheça mais a fundo o Wolverine dos quadrinhos este filme tenha chegado tarde demais e acaba não sendo como o esperado. Mas a verdade é que, gostem ou não, este é o melhor filme da franquia X-Men e eu acredito que este possa ser um divisor de águas para os filmes de super-heróis nas telonas. 


Logan, cumpre o que promete. O diretor James Mangold é um cineasta que possui bons trabalhos em seu currículo, mesmo Wolverine Imortal sendo um filme razoável, e talvez até por isso, Mangold mostra a que veio e seu trabalho, que traz uma carga emocional e dramática pesada que cerca a despedida dos atores Hugh Jackman e Patrick Stewart, é espantosamente bem feito. Não fazendo aqui comparações com os quadrinhos, me refiro unicamente pelo trabalho cinematográfico de roteiro e produção. Cenas de ação não são muitas para um filme de super-heróis, mas é aí que está o "X" da questão, este longa, apesar de ser um filme de super-heróis e baseado em algumas HQs dos X-Men, se não fosse pelos super-poderes dos protagonistas, Logan, seria facilmente classificado apenas como um drama de ficção-científica, e bom, muito bom. 


O trabalho de maquiagem é impressionante. Figurino, direção de arte e cinematografia nos remete ao futuro distópico desértico em 2029, onde se passa a trama, o filme me lembrou o excelente A Caçada (The Rover, 2014) em alguns momentos pelo road movie, também pela fotografia alaranjada deste futuro que parece que não existe mais nada. Um futuro que para a franquia, parece que há sim uma ligação com X-Men: Apocalipse, o barato da ótima sacada do diretor é não dar muitos detalhes de como este futuro se formou, ele apenas existe e ponto. Ou seja a proposta é inteligente, um filme para adultos, fãs da HQ ou não, mas para adultos, sem muitas explicações e um ponto de vista mais maduro do que é visto de trás para frente, no passado dos heróis. Como adaptação, da Grafic Novel O Velho Logan, a única coisa que temos em comum é um Wolverine velho com suas limitações que carrega uma carga emocional amadurecida e o ambiente distópico, fora isso, esqueça a HQ! E nem adianta reclamar, pois todos nós sabemos muito bem que não era possível uma adaptação fiel, até porque os direitos da Fox Film está limitado e os personagens que estão na história original têm seus direitos na Marvel/Disney. Mas existem leves referências a ela e a outras histórias dos mutantes nos quadrinhos. 


No que se diz "adaptação" (seja ela fiel ou não, ainda é uma adaptação da mídia quadrinho para a mídia cinema), é excepcional, dentro do que a Fox vem fazendo com a franquia (diga-se de passagem com sua cronologia muito questionável), de acordo com as mudanças e como isto está sendo contado no universo cinematográfico, temos finalmente um filme que fecha um ciclo e abre um leque de possibilidades para que a Fox recomece acertando. Isso não quer dizer que as HQs serão contadas fielmente no cinema, mas assim como a Marvel vem acertando na adaptação criando um universo "redondo" que praticamente é um reboot das histórias para personagens e arcos tirados dos gibis e moldando-se para uma realidade cinematográfica quase inédita, a Fox está entrando neste caminho, e melhor, apresentando com maturidade, não é porque são filmes de super-heróis que tem que ser filmes para crianças. Ponto pra Fox!


Na sinopse, num futuro próximo, um cansado Logan (Hugh Jackman) cuida do doente Professor Xavier (Patrick Stewart) em um esconderijo na fronteira mexicana. Mas as tentativas de Logan de se esconder do mundo e de seu legado são interrompidos com a chegada de uma jovem mutante (Dafne Keen), que é perseguida por forças sombrias. 
Não tem como não sentir o peso da despedida, Hugh Jackman faz o melhor Wolverine e marca de vez seu nome na pele do Carcaju, mesmo com todas as críticas ao longo dos anos, pois ele não tem nem de longe a aparência dos quadrinhos e muito menos a sede de matar (eu era uma que gostaria muito de vê-lo de collant amarelo e fazendo rolar cabeças!), a roupa amarela ainda não foi desta vez, mas ver cabeças rolando foi bem divertido, além de ver ataques em ângulos bem dirigidos com enquadramentos bem interessantes (e que enquadramentos!). Patrick Stewart também deixa sua marca como o Professor X, sua atuação aqui é mais do que podemos esperar, belíssima interpretação, a química destes atores é simplesmente a melhor sintonia que eu senti entre personagens adaptados dos quadrinhos, o sentimento, a dor, a comoção provocada de maneira muito natural, afinal de contas já nos sentimos parte disto e a despedida sempre é dolorosa. X-23, a Laura, interpretada pela Dafne Keen dá um show, ela é a cereja do bolo e só tem 11 anos, eu nem vou dizer mais nada sobre ela, assistam!



A trilha sonora deixou a desejar, eu queria a música do trailer ("Hurt" - Johnny Cash), tocando all the time! Efeitos visuais? CGi?, são funcionais, apenas o necessário para preencher a história, nada de exageros ou explosões com raios azuis ou mesmo monstros para destruir o planeta. Vilões em um contexto muito bem empregado, toda a história faz sentido, nem tudo precisa ser explicado, o roteiro é satisfatório e encaixa muito bem as decisões tomadas em mudanças que já haviam sendo feitas nos filmes anteriores, aqui é só a peça final do quebra-cabeça com soluções práticas e criativas para mostrar ao público que dá pra consertar este universo sem ficar auto-explicativo além da conta. Com 2 horas e 17 minutos, em nenhum momento se torna enfadonho, tudo está no seu lugar.


Logan, é o filme que nós fãs dos quadrinhos (repito, nós adultos) pedimos, a despedida perfeita para o Wolverine, que muitos só conheceram na pele do Hugh Jackman. E para quem conheceu Wolverine primeiro nas animações, vê-lo no cinema foi incrível, mesmo não gostando muito no inicio, mas a gente se acostumou, e se afeiçoou nestes anos todos!
 Iniciado e finalizado no universo cinematográfico, para muitos de nós, vai deixar saudade. 
Adeus, Logan.


Assista ao trailer #2:




Trailer #1:


Em cartaz nos cinemas de todo Brasil.