domingo, 8 de janeiro de 2017

Moana: Um Mar de Aventuras (Moana, 2017)


Mesmo parecendo familiar, nos trazendo a lembrança de animações passadas da Disney (A Pequena Sereia, Atlantis - O Reino Perdido, Hércules, Mulan...), não chega a ser tão original quanto Divertida Mente ou Zootopia, mas Moana também traz algo novo, e uma de suas características é não ter um príncipe. Princesa sem príncipe? Sim, e a Disney acerta mais uma vez. 


Sinopse: Moana Waialiki é uma corajosa jovem, filha do chefe de uma tribo na Oceania, vinda de uma longa linhagem de navegadores. Querendo descobrir mais sobre seu passado e ajudar a família, ela resolve partir em busca de seus ancestrais, habitantes de uma ilha mítica que ninguém sabe onde é. Acompanhada pelo lendário semideus Maui, Moana começa sua jornada em mar aberto, onde enfrenta terríveis criaturas marinhas e descobre histórias do submundo.


Divertido, ousado, um tanto previsível porém interessante, a animação tem um visual deslumbrante e a trilha sonora é bem marcante, impossível não se envolver com a história e se encantar até com as referências à outras já contadas pela casa, Moana tem sua animação digital mais realista, cores e texturas intensas, movimentos que são bem mais naturais que a maioria das animações, a evolução dos gráficos são visíveis se compararmos por exemplo com Frozen, apesar do clima ser totalmente o oposto onde uma canta o inverno e aqui canta o verão, ainda assim podemos notar que humanos são mais reais em movimentos e pelo design mais natural dos corpos.

Os mascotes são uma boa surpresa, em especial o galinho que arrancou gargalhadas do público na sala. 
O semi-deus Maui assim que começa sua participação muda o tom do que estamos assistindo, este personagem traz muita semelhança como o gênio de Aladdin, difícil não gostar dele logo de cara. 
O maior desafio desta jornada é uma ameça assustadora e convincente, foi para mim, surpreendente. 
A princesa guerreira e desbravadora, Moana, é uma personagem forte que apesar das comparações com outras princesas ela é mais do que as outras em muitos aspectos, a escolhida é uma verdadeira heroína dos tempos modernos em se tratando da Disney. 
A animação, traz ótimas tiradas e sem exagerar ou mesmo tornar-se infantilizada ou enfadonha, é uma dose certa de humor e aventura que com certeza vai divertir e agradar toda a família. 

Assistam no cinema e não esqueçam a cena pós-créditos!